...................................................................................................

poesia de domingo






digamos, fresco, lindo, ensolarado
domingo que é dia de torta
de pão-de-queijo, dia de leio e releio
torno e retorno, dia de vencedores
dia de calmamente trabalhar superfícies já trabalhadas
domingo que é dia de sofrer
dia violento, suicidal, subcutâneo
silencioso da matuta cotidiana
indiferente a quem ama ou esta só

e aí sai esse poeminha viçoso
quentinho do forno, queimando a língua
ardendo na mente, batendo os sinos
nos seios da gente!

Archive

Followers