...................................................................................................

derredor, meu amor

inesperada pularei na luz, assim do nada - antes no escuro, agora revelada!

sei que tudo que me escapa
tudo que me nada
não passa de espuma
dos mares das bocas dos sexos
das palavras que dissolvem e se dispersam
de um pensamento que se desfaz
de uma criança que me corre atrás
como se meu passado não fosse o que ainda virá
como quando com meu ainda pai
em seu pragmático estupor:
tudo proteína, menina, tudo vapor!

Archive

Followers