...................................................................................................

não sou só eu que não sou só eu



quando sofro de melancolia
vou e como melancia, ou não
- duas rimas sem solução



nos partimos no amor que morre
somos todos o coração de vladimir
(cada vez mais imortal
o poeta a sorrir nos agradece
e coisa e tal)

vladimir sabe dos amores idealizados
sabe de agostinho, que morreu com a leila
dos voluntários no veneno, sorrindo desdentados
e do pai do menino, o militar que tomou seus amigos
a luz do dia, bem no meio da feira livre
pouco antes de partir também pra margem direita
do lamento

tanta erudição no coração partido do poeta
que ainda bate, violento




tão imprecisos os impressionados pela impressidão



não caibo, confesso
mas ao diabo que meço!



outro dia apanhei no meio da rua
de um jovem infeliz 4 vezes meu forte
mil vezes meu ignorante

entrementes, a covardia também vem de farda
em todo canto vidas que custam muitas outras
tanto canto e tanto choro pro esgoto
que não se escuta nem se esgota e nem se escora

entrementes, o bando de capanga segue em frente
cursando a faculdade do malfeito
um sucesso o preconceito
específico bélico horrífico dinâmico
(e tudo mais que rima com psico)
- que venha a inevitável explosão!
(viável, pois de uma multidão)

entrementes, o encanto do bebê lindo que fala baba
me cala: é o magnífico da vida que não finda
entre mentes




things7983







gauche




can i signify?
may i leave a little note
with a tiny goodbye?
a final message
a pain in the neck
for i got gas
yet



suicide boy

the boy's blue eyes
with grey blue rings
says 'careful, momma
i'll cut my strings..'

he's a mild sweet smile
his momma eats rings
little greasy onion things
she's desperate

a black suit king
doesn't look their way
'be careful, momma,
i'll make suicide..'

their bus turns round
his momma's pretty mad
full and foul, shit off her mouth
crumbs and spit that fly and fall

'shut the fuck up, stupid kid!'




o bom filho a casa entorna



perdi a mão, perfeição
ofendi a galera que agrupa
fiquei nervoso com o dia
e peço sinceras desculpas
deveria ter falado o mesmo de outro jeito
(poderia ter falado torresmo ou alface
e ser aceito)
mas vida é só desacerto
só poesia, só solidão

(com pedro rios leão)



todos os dias acordo prum novo horror:
o juiz que proíbe a própria prisão
padres e empresas ansiosos
um capitão de indústria neo-turbo
(que aprova o próprio requerimento
e concorda consigo mesmo)

então terei o prazer de estragar meu trabalho
pra isso usarei o manto e o momento do amor romântico
pra isso criarei um novo membro em novembro
pra isso serei outro temerário da história
não um indivíduo mas separado

e o perigo sempre à espreita?
e a dor da pedra e da perda?
que sem sacrifício um ser não vive
(já ouviu um abrahão - ou não?)

muita gente suspeita, muita desventura
vou rechear meu texto com nota obscura
e vou rechear minha palavra com grunhido
que a voz da ignorância tem muito ouvido

(pra pedro rios leão)



Followers